O Fracasso da Negociação – José Juliano

José Juliano Sakalumbo, Secretário Provincial Adjunto de Luanda do Bloco Democrático, enfaticamente afirma que uma negociação na qual uma das partes não demonstra interesse é uma perda de tempo.

A negociação é um processo intricado de interação social, envolvendo duas ou mais partes em discussões sobre seus interesses mútuos. No entanto, quando uma das partes, neste caso o governo, não está disposta a ceder, surgem impasses. Isso ocorre porque os interesses do governo são colocados em xeque, desafiando a possibilidade de concessões.

O impasse nesta negociação é evidente: a classe trabalhadora busca um ajuste salarial considerável, enquanto o governo expressa reservas, argumentando que tal aumento é excessivo. Um exemplo concreto é o pedido da classe trabalhadora por um ajuste salarial para 245.000 kz, em comparação com o salário mínimo anterior de 32.181,15 kz.

Por que o governo considera essa demanda excessiva? Será que isso ameaça os benefícios do executivo?

Essas perguntas ecoam sem resposta, a menos que o governo seja transparente sobre suas preocupações com esse povo sofrido. Uma análise mais detalhada, incluindo cálculos específicos, pode nos levar a entender melhor a recusa do governo em relação ao ajuste do salário mínimo.

Por exemplo, consideremos as despesas correntes de certos cargos: cada ministro tem uma despesa adicional de 25 milhões kz, o PCA da TAAG tem um salário médio de 60 milhões kz, e o Diretor da TAAG tem um salário médio de 30 milhões kz, entre outros.

Ao dividirmos esses valores pelos custos médios de vida, encontramos uma discrepância notável:

  • 25.000.000 ÷ 102 = 245.098,039
  • 60.000.000 ÷ 244 = 245.901,639
  • 30.000.000 ÷ 122 = 245.901,639

Esses cálculos indicam que, embora apenas 25 indivíduos estejam envolvidos, eles afetam indiretamente 2.712 funcionários. No entanto, o governo parece relutante em negociar com os sindicatos, temendo que seus próprios benefícios estejam em risco.

Para alcançar um ajuste salarial adequado, é imperativo reduzir as despesas nos ministérios, departamentos e outros setores. A verdadeira prosperidade econômica não pode ser alcançada com salários inadequados; é essencial estabelecer um valor justo que garanta o poder de compra necessário.

Por: Adelino Manuel Manino

Luanda, 15 de Abril de 2024

4 thoughts on “O Fracasso da Negociação – José Juliano

  1. Enquanto o MPLA continuar no poder, nunca teremos uma Angola livre e um crescimento econômico sustentável. É necessário pensar cinco passos a mais que o regime. E inadmissível olhar no que o Governo Angola tem feito para a sociedade Angolana e principalmente para a classe trabalhadora e os seus sindicatos.

    Fazem tudo propositadamente.

    1. Um governo sem ideia dá nisso.

      A classe trabalhadora é a chave para o processo do desenvolvimento em Angola, a produção é maior se a mesma estiverem motivado.

  2. Trabalhador é a força transformadora das matérias em valores consequentemente o desenvolvimento da economia de qualquer estado.

  3. José Juliano Sakalumbo Gestor não só meio de sustento; é muito mais! Ele faz e sustenta a vida no Cosmos. Trabalho é muito amplo. Nele conhecemos a vida e o gosto de viver; sem sua manifestação em qualquer ser, se confunde com a morte pela paragem, inércia, pobreza, nulo, triste, miséria. Qualquer ser que não sabe da importância do trabalho é prejudicial a convivência social ou antissocial, um parasita ou verme criando danos nós seres vivos entre vegetais, animais e humanos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *