Governo sem Ideias para a Economia Angolana – José Juliano

O ativista político, José Juliano Sakalumbo, afirma que um governo que não entende de economia é um governo analfabeto. Como é possível que o governo aumente as despesas sem aumentar a receita? Será que existe má fé do executivo em não revelar todas as fontes de receita? Se o governo tem dinheiro para pagar um novo ministro, também tem dinheiro para ajustar os salários.

A proposta do executivo em relação ao salário mínimo é uma vergonha. É lamentável ter um governo que não pensa nas famílias nem no crescimento da nossa economia, preferindo gastar em vez de investir, demonstrando falta de noções de políticas macroeconômicas.

Eles dizem que o salário mínimo deve ser de 50 mil kwanzas para microempresas, 60 mil kwanzas para pequenas empresas, 70 mil kwanzas para médias empresas e 100 mil kwanzas para grandes empresas. Pergunto ao governo: vocês fizeram um estudo de viabilidade sobre os preços da cesta básica ou do mercado? Vocês sabem como funciona o mercado?

Cada viagem do presidente JLO custa 14 milhões de dólares. Cada ministro tem despesas de 15 a 25 milhões de kwanzas, sem contar as despesas dos governadores, administradores, secretários de estado, entre outros. O PCA do BNA tem um salário médio de 10 milhões de kwanzas mensais; o PCA da TAG ganha em média 60 milhões de kwanzas mensais; o diretor da TAG recebe em média 30 milhões de kwanzas mensais. Imagine quanto ganha o PCA da Sonangol e da AGT, entre outros.

O dinheiro do país é destinado a uma minoria, enquanto a maioria sofre. Em Angola, não há falta de recursos, mas sim falta de vontade política. Enquanto o governo gasta dinheiro, o povo sofre e morre de fome. Existem vários economistas e políticos que poderiam ajudar a tirar Angola da crise, como Adalberto Costa Júnior, Filomeno Vieira Lopes, Carlos Rosado, Daniel Sapateiro, José de Amaral, entre outros. No entanto, o governo vê isso como uma ameaça ao seu poder.

A Frente Patriótica Unida (UNITA, Bloco Democrático, Praja – Servir Angola) tem políticas para transformar Angola em uma potência econômica, se um dia for governo.

A vida dos angolanos está cada vez mais difícil com o aumento das tarifas de táxi, que variam entre 150 e 200 Kz. Esse aumento retira ainda mais dinheiro do bolso dos cidadãos. Tal medida só pode ser entendida como uma forma de sustentar o governo, que não utiliza os táxis e recebe tudo de graça. Enquanto isso, os cidadãos não conseguem se sustentar com seus salários, que são insuficientes para cobrir suas necessidades básicas.

Luanda, 18 de maio de 2024

One thought on “Governo sem Ideias para a Economia Angolana – José Juliano

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *