A realidade Angolana – Olívio Nkilumbo

deputado da UNITA, Olívio Nkilumbu, afirma o seguinte, Se as políticas públicas visam atender aos interesses dos cidadãos, satisfazendo suas preocupações e necessidades, considerando que o Estado deveria agir como uma “Pessoa do Bem” (como deveria ser na realidade angolana), por que o Executivo tem, irracionalmente, ignorado as demandas dos cidadãos?

As tarifas dos táxis coletivos e dos transportes públicos urbanos foram recentemente atualizadas após consultas com a Associação dos Taxistas, cooperativas e a Associação das Operadoras de Transportes Rodoviários. Por que não foram ouvidos também os cidadãos diretamente afetados por esse aumento? São os membros dessas associações os passageiros habituais e frequentes? Não!

Atualmente, os preços dos produtos estão muito acima do normal, a inflação está fora de controle e as medidas supostamente adotadas para conter a situação acabam agravando os prejuízos.

No setor comercial, quanto mais sobem os preços dos combustíveis e dos transportes, mais aumentam os preços dos produtos, devido aos custos de produção e transporte.

É evidente que a decisão de aumentar os preços dos transportes, especialmente os públicos, não atende aos interesses dos cidadãos. Então, a quem realmente servem esses interesses prejudiciais? Será que o dever fundamental do Estado é contradizer os interesses do povo?

É necessário um compromisso real, dedicação e seriedade na aplicação dos princípios que regem os atos governamentais. É fundamental usar a razão, e abrir espaço para que especialistas, acadêmicos e outras pessoas com sanidade intelectual possam opinar sobre questões robustas que afetam a estabilidade social e econômica do país.

“O PAÍS REALIZA-SE COM TODOS”

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *