Sempre que nos aproximamos de um pleito eleitoral, o Regime do MPLA afina a sua máquina corruptora para desta forma confundir o eleitorado. Foi assim em 1992, foi assim em 2008, em 2012, em 2017 e agora com uma ligeira antecipação para 2022. Porém esqueceu-se de um pormenor; os tempos mudaram.

Não nos devemos esquecer nunca que o causador do sofrimento do povo Angolano é o MPLA.

Cria a fome em seguida apresenta-se como instituição de caridade para enganar os menos atentos; cria a miséria e propõe-se em dar soluções vendendo sonhos irrealizáveis; mutilou a educação; tornou precário o sistema de saúde; criou um sentimento de desespero na juventude que vê o seu futuro ameaçado e aproveitando-se da desgraça por si causada, compra as consciências dos mais fracos a troco de migalhas, bastou para tal, cantar a mesma música já conhecida ( atirar-se contra a UNITA e o seu Presidente, através de um discurso infundado com palavras encomendadas como: tribalismo, nepotismo, desvio de fundos do Partido etc.) como se a sociedade fosse tão ingênua e acreditasse em tudo que vê e ouve.

Os tempos mudaram. Se ontem a máquina propagandística do MPLA colocou injustamente o cidadão contra a UNITA, hoje o povo despertou e a causa da UNITA transformou-se em sua causa também.

Se ontem a luta era entre o MPLA e a UNITA, hoje a luta é entre o MPLA e o povo. Por isso, ninguém mais acredita nas mentiras de um Partido que há 46 Anos no poder, não apresentou soluções viáveis para Angola.

Desde 1975 o MPLA não fez mais senão, delapidar o erário público, explorar e frustrar as aspirações daqueles que lutaram pela independência, na perspectviva de dias melhores para Angola. Hoje o País vive uma crise generalizada.

Não haja ilusões aliar-se ao MPLA é trair a Pátria é relegar milhões de Angolanos na subjugação é hipotecar o futuro das gerações vindouras.

Aos que vendem a sua dignidade ao regime a troco de insultos a UNITA e ao seu Presidente, devem saber que não só estão a ser instrumentalizados como também não têm nossão da luta da UNITA. Tenho certeza de que o tempo vai se encarregar em lhes mostrar que aliando-se ao MPLA é o pior erro que se pode cometer na vida.

A UNITA vai continuar firme e forte, pronta para governar Angola em 2022. Nem mesmo a vergonhosa máquina do MPLA montada com suporte do Gabinete de Acção Psicológica do Presidente da República e dos Serviços de Segurança do Estado, com cobertura abusiva dos Órgãos de comunicação social públicos, nos poderão parar. O MPLA está no fim, vai assim tentando em vão, dar os últimos suspiros.

Apelo aos Jovens para não se deixarem levar pelo imediatismo, cedendo ao jogo do regime. Precisamos erguer o nosso País com Patriotismo e heroismo para forjarmos o futuro das próximas gerações.

Para que a pátria nos mereça precisamos acima de tudo, ter orgulho de nós mesmos e acreditar num futuro construido com os nossos próprios punhos.

A nossa geração não pode falhar. A dignidade não tem preço e deve ser defendida para tal é necessário que tenhamos consciência da nobreza da nossa luta.

P/ Agostinho Kamuango