UNIÃO NACIONALPARA A INDEPENDÊNCIA TOTAL DE ANGOLA
UNITA


2021-ANO DA MOBELIZAÇÃO DOS PATRIOTAS PARA ALTERNANCIA DO PODER
CONFERENCIADE IMPRESSA


Caros Jornalistas.
Minhas Senhoras e Meus Senhores .
Em nome da Direção do nosso glorioso Partido a UNITA;
Em nome do Executivo Nacional da Liga da Mulher Angolana – LIMA;
Permitam-me dar as boas vindas a todas e a todos os presentes nesta sala
e saudar-vos calorosamente, BOM DIA!

“A mulher Angolana não é só um instrumento para trabalhar na lavra, ela
tem de lutar pela sua dignificação e valoriação. Mulheres ! sejam tambem
dirigentes”- Dr.Jonas Malheiro Savimbi -1989.

Precisamenta, a 18 de Junho de 1972, na localidade do Massivi, sob a
orientação do Presidente Dr. Jonas Malheiro Savimbi, foi proclamda a Liga
da Mulher Angolana, LIMA tendo sido eleita a primeira Presidente, a
senhora Isalina kawina, aqui presente para quem eu peço uma merecida
ovação.
A LIMA foi criada para assumir a vaguarda da luta da mulher na conquista
dos seus direitos politico, economico e social.
Desde 1972 data da sua criação, a LIMA assumiu a responsabilidades de
empoderar as mulheres na arena politia e na sociedade em geral.

Na política – Insentiva as mulheres e sobretudo a mulher jovem a tomar
protagonismo na desefa da coisa publica. Insentivar as mulher a terem
gosto pela política capacitando-o a exercer funções de liderar dinãmicas
que opreram mudanças transando metas e objectivos da ascensão de
maior numero de mulheres nos lugares de decisão, na função publica ou
privada,até 50% de represantividade a todos os niveis.

Na arena social – Dar maior atenção as familias vulneráveis, crinças
desnutridas,advocar melhores serviços de saúde e educação de qualidade
igual para todos, habitação condigina de entre outros direitos.Combater
veementemente todas as tendencias de violencia domestica.

Economicamente: a mulher tem de ser ensetivada a empreender mais, ser
mesmo ousada, na criação de micro e medias empresas multisetorias .
Fazer com que a mulher seja proprietaria de terras.
De 1972 – 2021 – saão 49 anos de existencia.
Este ano o 49º aniversario da Organização Feminina da UNITA celebra-se sob o Lema:”LIMA, SIM, NA
MOBILIZAÇÃO DOS PARIOTAS PARA A MUDANÇA.”

A LIMA surgiu num contexto particularmente dificil, exigente de grande
sacrificios durante a luta de libertação nacional contra o colonialismo
Português. Fundada a UNITA em 1966 em todas as bases militares
centrais, de zonas e sectores, a mulher da UNITA começou a dar o seu
contributo nos serviços auxiliares de tropas, administração, logistica e
intendência passsando em seguida a executar tarefas militares, como de
sargento-dia, oficial-dia, rondas e patrulhamento militar; içar e arrear a
bandeira.
Estas activiadades foram precedidas de uma metuculosa
preparação combativa que passava por ginástias, luta corpo-a-corpo,
baioneta,pistas de obstáculos e toda uma gama de exercicios, antes
reservados apenas aos homens,chegamdo mesmo a fazer treinos militares
e para comandos, fase da luta que terminou com a Proclamação da
Independencia de Angola a 11 de Novembro de 1975.

1976 instala-se em Angola o corpo expedicionario Sovietico-Cubana e a
UNITA é obrigada a recuar insetando a luta de resistencia popular
generalizada e a LIMA ao dos seus companheiro, as FALA respondeu
pronta. As mulheres da LIMA atravessaram vales, rios, escalaram montanhas e suportaram todas as agruras de uma guerra civil atroz que
viu muitas delas a tombarem no campo de batalha.

Com a fundação da Jamba, base de apoio em 1979 denomidada capital
provisoria da resistencia popupalar generalizada a LIMA, passou a
desempenhar um papal mais crucial interventivo, na educação, na saúde,
na adiministração, no secretariado, jornalismo,na cooperação
intenacional, na cultura e na agricultura.

Entrentanto, o acntencimento mais marcante viria a surgir em 1989
quando o Dr.Jonas Malhieiro Savimbi formou o primeiro batalhão
exclusivamente feminino – o batalhão “89”. Este facto abriu uma nova era
na afirmação e participasão de um número maior de mulheres no cargos
de Direcção tanto no seio do Partido quanto nas forças armadas de
libertação de Angola – FALA, com a participação efectiva a directa em
batalhas militares que viriama virar o curso da historia de Angola, como a
conhecida ofensiva “ultimo assalto” com o codigo militar “operação
zebra” que foi determinante para as negociações directas entre a UNITA e
o MPLA, culminando com a assinatura dos acordos de Bicesse em 1991,
que deram acessos a realização da primeiras eleições realizada em 1992.

Fradulentas que foram tais eleições, e ante um ódio visceral que apenas
tinha o fim unico de fazer desaparecer a UNITA, mais uma vez a LIMA
respondeu PRESENTE a nova fase da resistencia popular generaliada que
foi muito violenta e viu cair no campo de batalha muitas das suas figuras
proeminentes e culminou com a perca em conbante do expoente maximo
da revolusação do presidente fundador Dr.Savimbi, a 22 de fereiro de
2002.

Olhando para os 49 anos de existencia a LIMA orgulha-se de ter cumprido
o seu papel mas não está satisfeita.Não está sastisfeito por quê? Porque
ainda registam-se atitudes que revelam violência intolerancia politica com
assasinatos tal como é o caso mais resente da menor de 14 anos abatida a
tiro no Cafunfu.

Porque nos dias que correm, rios de lágrimas jorram de nossos olhos,
como mães que nem mais leite temos para, pelo menos , darmos de
mamar nossos bebés.Temos corações pugentes pela degradação
galopante da situação sócia-económica das familias angolanas, enquanto
somos divertidos por um dircurso teatral do Executivo do MPLA que atira
areia para os olhos dos angolanos, pintando uma Angola e com uma suposta luta contra a corrupção que mas nenhum angolano honesto
acredita, senão o proprio Executivo, auxiliado por uma orquestra sinfónica
da comunicação social publica,infelizmente alimentada com dinheiros de
todos nós.

Para assinalar a quadra comemorativa do 49º aniversario da criação da
LIMA, cuja jornada de celebração arrancou no preterito dia 04 de Junho
em todo espaço nacional realizam-se várias actividades tais como
:Palestras,Debates radiofonicos com temas devidamente selecionados,
que refletem a vida social e economica da mulher, empoderamento da
mulher com maior insidencia para mulher rural; Mulher jovem; e familias
vulneraveis; o combate a violencia domêstica; Sobre a segurança
alimentar e nutricional das crianças e teceira idades para minora a subnutrição; a Importancia da agricultura familiar ; Orientar as familias como
selecionar e preparar os alimentos ; a importancia das linguas nacionais e
neste quisito, entendemos nós, que ,a mensagem trasmitida na lingua
local, é mais perceptivel e produz resultados positivo; Insentivar e
encorajar a cooperativa agriculas .

Sendo a LIMA uma organização de carís politica e tal como enuncia o Lema
do 49º aniversario ,grupos de mobilação vao se desdobrar pelos
Municipios, Comunas e Aldeias, levar a mensagem de mudança com a
UNITA em 2022.Vencer as eleições e formar Governo Inclusivo e
Participativo.”Um governo de todo o angolano” o país clama por mudança
e unica esperança para a mudança efetiva e credivel para alternancia do
poder é a UNITA com Adalberto Costa Júnior.
Um apelo: Vamos vencer o medo funcionarios público,
soldados,sargentos,oficias capitães, oficiais superior, classes dos generais,
policia nacional, segurança de Estado vóis sois, forças republicanas, não se
deixem levar pela mentira, quando vos dizem que a UNITA vai correr
convosco e trazer outros para os vossos lucares. Não há outros, somos
todos angolanos e a UNITA vai governar com todos . No governo da UNITA
vai contar a Competência, a Excelencia e a Meritocracia. Mulheres e
homens, mão na consciência .

Termino apelando o redobrar das medidas de bio-segurança na luta conta
o COVID-19 para a proteção do bem maior que é a vida


BEM HAJA ANGOLA
LUANDA 07 DE JUNHO 2021