Angola tem uma grande necessidade de reconciliação national. Esta reconciliação só será possivel com a Unita no poder,digo isto porque desde a sua fundação o Partido sempre baseou-se na reconciliação e no entendimento entre os movimentos de libertação do colonialismo Português em Angola.


Segundo as histórias relatadas e escritas por angolanos e não só, há documentários demostrando as habilidades diplomáticas desenvolvidas pela a UNITA no sentido de unir a FNLA e o MPLA para uma plataforma de entendimento.
O MPLA tem e sempre teve dificuldades imensas de cohabitar com as diférenças, desde a chegada de Neto à presidência deste movimento. Portanto estou na mesma linha com aqueles que dizem que o M deve primeiro fazer uma reconciliação dentro dele ; com – a revolta activa, facção Chipenda, 27 de maio e pedir perdão dos massacres do pica pau, da hécatombe de 31 de outubro de 1992, sexta feira sangrenta, massacres do monte sumi, assassinatos de todos activistas e massacres do Cafunfo. O Partido dos camaradas dos nove (9s) está concluído que não têm cultura em não aceitar as diférenças.


No âmbito dos acordos de Bicesse, nasce a formação do exército nacional FAA- forças armadas angolanas. Nos meios dos oficiais das extintas Fplas, quando quizessem se pronuciarem de um dos seu colega vinda da extintas Falas, diziam o próviniente. Lembro-me bém do senhor Paulo Thipilika, então ministro da justiça propôs que a judiciária passasse para o seu ministério, o ministro do interior Fernando da Piédade Nadó, chateado…destratou o ministro da justiça, chamando-Lhe de clémentino, clémentino porquê?porque este (ministro) vinha dumas politica de clémencia .


Também na época do Gurn, governo de reconciliação nacional, os ministros da Unita nos circulos do M, eram chamados ” os próvinientes “.O MPLA durante a sua existencia sempre nutriu amargura e o ódio entre os angolanos. Presentemente há uma grande necessidade de nos unirmos todos em torno da Pátria, para podermos construir o futuro, exigi de nós uma mudança de mentalité. Perante todas as situações que vivemos hoje no País, só a Unita têm a capacidade e comprometimento na defesa do bom nome de Angola e dos interesses legítimos dos angolanos. Vou terminar palavreando Dr. Savimbi ( o próprio impossível parece estar ao alcance da mão).

By: kunudiá kumutendela