UNITA: Adalberto Costa Júnior inicia hoje uma visite aos EUA com a observação internacional das eleições na agenda
O Presidente da UNITA inicia hoje uma visita de trabalho aos Estados Unidos da América com a mobilização de apoios para o processo eleitoral e a questão da observação internacional das eleições gerais de Agosto na agenda.

Adalberto Costa Júnior, segundo uma nota do secretariado de comunicação do partido do Galo Negro”, vai aos EUA a convite de “altas figuras da sociedade e da política daquele país de referência democrática mundial” sem, no entanto, indicar quais as organizações e entidades individuais que formaram o convite.

Na agenda desta visita, que o Novo Jornal procurou, até agora sem sucesso, saber a sua duração e os contactos previstos pelo líder do maior partido da oposição, segundo o comunicado citado, constam “encontros com as mais diversas instituições e com representantes da comunidade angolana”.

O presidente da UNITA, Adalberto Costa júnior,”usará da oportunidade para reforçar a mobilização de apoios ao processo eleitoral, à observação internacional das eleições gerais de Agosto de 2022, num ambiente de tranquilidade, de pluralidade democrática e de transparência”.

E adianta o documento que “esta será a única via para o desenvolvimento do país e propiciador da dignidade para todos os angolanos”.

O Secretariado da Comunicação e Marketing da UNITA informa que o Presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior efectua, a partir desta segunda-feira, 7 de março de 2022, uma visita aos Estados Unidos da América.

De acordo com uma nota de imprensa enviada para Angola24horas, constam do programa encontros com as mais diversas instituições e com representantes da comunidade angolana.

Angola vai a votos pela quinta vez na sua história recente e o líder da UNITA quer aproveitar a sua presença nos EUA para atrair apoios, a fim de que o pleito eleitoral em Angola ocorra “num ambiente de tranquilidade, de pluralidade democrática e de transparência”. “Esta será a única via para o desenvolvimento do nosso país e propiciador da dignidade para todos os angolanos”, salienta a nota da imprensa da UNITA.

Os EUA consideram que “as próximas eleições nacionais e locais em Angola constituem um novo teste à abertura democrática” assumida pelo Presidente João Lourenço, desde que chegou ao cargo, em Setembro de 2017, e depois de terem sido “tomadas medidas reais e significativas para combater a corrupção e abrir o espaço político”.

Fonte: Angola24Horas.com & Novojornal.co.ao/